Electroterapia

O que é a Electroterapia?

Cada uma das nossas células possui uma membrana que a envolve, servindo de protecção mas também como meio de passagem de iões, que circulam bi-direccionalmente de dentro para fora e de fora para dentro da célula. A posição, extra ou intra-celular dos iões e sua concentração, gera o potencial eléctrico da membrana celular, que é variável. Diversos factores, como o avançar da idade e a doença, enfraquecem este potencial eléctrico originando, nomeadamente dores, inflamações e mutações celulares.

A Electroterapia tem como objectivo reverter o processo de perda de potencial eléctrico da membrana celular.

Indicações:

  • Desequilíbrios crónicos em um ou mais sistemas (ex: circulatório, linfático, cardíaco, músculo-esquelético, imunológico, urinário, reprodutor, gastro-intestinal, nervoso, hormonal, ósseo e auditivo);
  • Insuficiências orgânicas (por ex: cansaço, pernas inchadas, dificuldade em urinar ou evacuar, memória diminuída, má digestão);
  • Dores crónicas;
  • Complementar na recuperação/regeneração;
  • Complementar com outras terapêuticas;
  • Aumento performance muscular e mental;

 

Contra-indicações:

Pessoas portadoras de equipamentos eléctricos no corpo (ex: pacemaker);

 

Duração:

Até 60 minutos

 

Em que se baseia este método?

Este método baseia-se em estudos reconhecidos pela comunidade científica. Citando alguns:

- O cientista Dr. Robert O. Becker, demonstra nos seus estudos que as células que tinham fraco potencial eléctrico em sua membrana não se conseguiam multiplicar correctamente. Assim defendia que toda a doença crónica tinha origem num reduzido potencial eléctrico da membrana celular.

- Jeffrey S. Mannheimer afirma, num artigo que escreveu sobre o efeito das microcorrentes eléctricas nas células, que estas melhoram substancialmente as funções celulares potenciando uma rápida recuperação.

Como podem os campos eléctricos e magnéticos influenciar o corpo humano?

A Terra possui um campo magnético, gerado pelo seu interior, que a envolve e protege de radiações provenientes do Universo, mas também cria vida.

A NASA constatou que os astronautas, fora do campo magnético e gravítico, sofrem grandes desequilíbrios, tendo sido relatados casos de complicações cardíacas e circulatórias.

O corpo humano tem a sua própria corrente eléctrica, na qual a água e eletrólitos têm um papel fundamental tanto na sua condutibilidade como no seu funcionamento. O ser humano é constituído por milhões de células, que sofrem influência de ondas electromagnéticas, estas que causam um efeito positivo ou negativo sobre o corpo humano.

A Electroterapia aproveita esta característica para equilibrar as cargas eléctricas dos átomos e deste modo potenciar o equilíbrio corporal.

 

Electro-Potencial Negativo

No âmbito da Electroterapia, esta terapia com efeito sistémico, equilibra catiões (iões positivos) e aniões (iões negativos) da membrana celular, aumentando o potencial eléctrico negativo potenciando assim o correcto funcionamento das células do corpo.

 

Indicações:

  • Desequilíbrios crónicos em um ou mais sistemas (ex: circulatório, linfático, cardíaco, músculo-esquelético, imunológico, urinário, reprodutor, gastro-intestinal, nervoso, hormonal, ósseo e auditivo);
  • Insuficiências orgânicas (por ex: cansaço, má circulação, má digestão, artroses);
  • Dificuldade em urinar;
  • Obstipação;
  • Complementar com outras terapêuticas;

 

Contra-indicações:

  • Pessoas portadoras de equipamentos eléctricos no corpo (ex: pacemaker, monitores diabéticos) ou com problemas cardíacos;
  • Pessoas grávidas, com hemorragias/menstruação, a fazer quimioterapia ou tiveram uma cirurgia recentemente;
  • Pessoas com febre alta, transplante de órgãos, problemas renais/diálise, ingestão de álcool ou implantes de silicone;

 

Duração:

Até 30 minutos

 

Benefícios:

Os impulsos activam vários processos, como por exemplo:

- revitalizam o corpo no seu todo aumentando assim a sensação de bem-estar;

- aumentam a permeabilidade das células;

- auxiliam no equilíbrio celular e na eliminação de radicais livres;

- aumentam as reservas de oxigénio;

- beneficiam o metabolismo correcto e o sistema imunitário;

- acção anti-oxidante;

- acção analgésica;

- ajuda na obstipação e micção;

- aumento produção de ATP (energia);

 

 

 

 

contacte-nos

Li e aceito a Política de Privacidade.