Adição
blog
Publicado: 08/06/2016
Adição

E se um dia eu parar de perseguir os meus sonhos? Serei um perdedor? E se um dia eu não quiser mais despender de energias em repensar estratégias e atitudes, serei inerte?

Se um dia eu quiser ficar envolvido nos meus pensamentos e no meu sentir, vou ser eu mesmo, vou ser aquilo que sempre fui, consciente das minhas decisões e de toda a responsabilidade sobre as mesmas. Nesse dia sou outro, nesse dia sou eu mesmo. Fiel a mim e à minha vida. Fiel a ti que me acompanhas.

Todos precisamos de um tempo e de um espaço para nos encontrarmos e reencontrarmos. Alinharmos sentimentos e pensamentos. Uns precisam de mais tempo, outros fazem-no em instantes. Mas mesmo nesses instantes se afastam do aqui e do agora, viajam no tempo e no espaço. Revivem o passado e projetam no futuro, para decidir o presente. A todos estes momentos são chamados momentos de reflexão estratégica. Momentos meus que decido viver comigo próprio ou partilhar contigo. Tu ouves-me. Tu sentes-me. Tu procuras que eu te dê respostas que eu próprio desconheço. Tu esperas… e ficas expectante para ouvir uma palavra… e ficas no silencio quando nada ouves… mas sentes.. tenho a certeza que sentes…

Se um dia eu partilhar contigo os meus pensamentos mais profundos e o meu sentir, saberás o quanto fui teu sem eu próprio me aperceber. Ao olhar nos teus olhos receberei a resposta recíproca do quanto foste minha, sem eu sonhar… Estou adito! Não importa qual seja a substância aditiva, todas elas têm uma coisa em comum – mexem com o circuito de recompensa do cérebro, a chamada rota do prazer. Todo o ser humano, com ou sem adição, foge da dor em busca do prazer.

Qualquer que seja a substância da adição, causa um aumento repentino nos níveis de uma substância química cerebral chamada dopamina, que resulta em sentimentos de prazer. O cérebro recorda-se desse prazer e quer repetição… tornando-se num desejo impulsivo de repetição. “Sistema cerebral de recompensa”… Mas o momento passou e sem querer sonhamos o mesmo sonho e desistimos dele ao mesmo tempo…

Não sou perdedor… não sou inerte.. sou apenas eu, reunido com os meus pensamentos e o meu sentir. Eu sou assim… vivendo momentos… marcando no chão os meus passos... deixando em ti um pedaço de mim.

Marisa Romero