A Mudança
blog
Publicado: 31/01/2016
A Mudança

Mudar  é uma atitude forte. É provar a si próprio que não está confortável consigo e/ou com o que o rodeia. É despertar recursos internos que lhe permitem dar o primeiro passo. É tomar consciência do que quer e do que pode atingir se houver alterações. Mas mudar provoca medo. Medo do desconhecido. Medo do que pode ficar para trás. Medo das consequências perante o futuro.  Medo de não aguentar a pressão de tudo e todos... que, afinal, pode ser apenas medo dos nossos pensamentos… pois o “tudo e todos” é o que menos importa. O que realmente importa é o que sente, é o que pensa, é o hoje e o amanhã. O que aconteceu no passado, aconteceu por diversas escolhas suas. Escolhas pelas quais é responsável. Escolhas que foram, naquele momento os mais corretas… hoje faria diferente? Sim, não, talvez.. são respostas que poderão ajuda-lo agora, no presente. Na mudança.

A resistência à mudança é inevitável por tudo isto e por muito mais. E há quem resista eternamente e se mantenha no seu padrão de comportamentos, sentindo-se desconfortável consigo e com o que o rodeia. Há quem resista por um determinado tempo até reunir todas as condições que lhe parecem suficientes para dar o primeiro passo face a um futuro diferente e desejado - mais apetecível. Acreditando que pode ser possível levam o tempo adequado até se permitirem mudar. Mudam, com os receios iguais aos de todos os outros que o atreveram, mas mudam conscientes de que, se não o fizessem, não tentariam atingir a sua plenitude, a sua felicidade. Viveriam uma vida regular, sem nunca tomar “as rédeas da sua própria vida”.

Estes últimos também são assaltados pelo frio na barriga, o receio dos obstáculos que podem aparecer perante tamanho desafio. Mas estes últimos são também conscientes do que realmente querem. E isso, por si só, lhes permite buscar forças para avançar dia após dia. Sem se deixar quebrar pela incerteza que,  por vezes, os coloca à prova. Sem perder o foco, dão passo, após passo… passos mais ou menos calculados de acordo com as certezas. Certezas do que não querem!

Se apetece desistir? Só quem não tem realmente certezas do que quer, se permite desistir de perseguir o seu estado desejado. Não precisamos desistir. Podemos sempre mudar o rumo. Arranjar novas estratégias, novos recursos, novas ferramentas e, consequentemente, novas forças.

Este é desafio.. será sempre um desafio viver.

 

Marisa Romero